GUSTAVO GALVÃO



DIRETOR, ROTEIRISTA E PRODUTOR

– Brasília, 1976
– Formado em Jornalismo pela Universidade de Brasília (1999)
– Especialização em Cinema na Escuela Universitaria de Artes y Espectáculos (antiga Escuela Superior de Artes y Espectáculos, Madri, 2003)
– Membro da Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo (ABCV)
– Site: www.gustavogalvao.com
– E-mail: gustavo@400filmes.com

– Longas como diretor:
Ainda Temos a Imensidão da Noite (2K | filmagem em 2017)
Uma Dose Violenta de Qualquer Coisa (HD/35mm | 2013)
Nove Crônicas para um Coração aos Berros (HD/35mm | 2012)

– Curtas como diretor:
A Minha Maneira de Estar Sozinho (35mm | 2008)
A Vida ao Lado (35mm | 2006)
Uma Questão de Tempo (35mm | 2006), co-dir. com Catarina Accioly
Uma Noite com Ela (35mm | 2005)
Danae (35mm | 2004)
As Incríveis Bolinhas do Dr. Sorriso Sarcástico (16mm | 2003)
Emma na Tempestade (35mm | 2002)

– Outros trabalhos em cinema:
Produtor associado em Mulher do Pai (Cristiane Oliveira | 2K | 2016), selecionado para o 67º Festival de Berlim (Generation)
Produtor de finalização em Hóspedes (Cristiane Oliveira | 35mm | 2008)
Produtor executivo em Dia de Folga (André Carvalheira | 35mm | 2006)
Produtor de finalização em Feliz Natal (Guilherme Bacalhao | 35mm | 2006)
Assistente de direção em A Lente e a Janela (Marcius Barbieri | 35mm | 2005)
Produtor em Entre Um (Marcius Barbieri | 35mm | 2004)
Continuísta em Denis’ Movie (João Lanari | 35mm | 1996)

– Mostras de cinema como curador:
Um Outro, Eu Mesmo – Variações sobre Gênero no Cinema (CCBB Brasília | 2017)
Retrospectiva Wong Kar-wai (Caixa Rio | 2010)
Oriente Desconhecido (CCBB Brasília, Rio e São Paulo | 2008)
Nouvelle Vague Ontem e Hoje (CCBB Brasília | 2008)
Clandestina Liberdade (CCBB Brasília e São Paulo | 2007-2008)
Analógico Digital (CCBB Brasília, Rio e São Paulo | 2007)
Alemanha, um Olhar Feminino (CCBB Brasília | 2007)
Arte em Movimento (CCBB Brasília, Rio e São Paulo | 2006-2007)
Os Irlandeses (CCBB Brasília e Rio | 2006)
Expressionismo Revisitado (CCBB Brasília, Rio e São Paulo | 2005)
Outros Rumos – A Reinvenção do Road Movie (CCBB Brasília, Rio e São Paulo | 2005)
O Novo Cinema Brasiliense (CCBB Brasília | 2005)
As Três Chinas (CCBB São Paulo | 2004)
* Saiba mais sobre essas mostras na página www.gustavogalvao.com/mostras

– Autor e editor de publicações sobre cinema:
Wong Kar-wai (80pp | 2010)
Oriente Desconhecido (32pp | 2008)
Nouvelle Vague Ontem e Hoje (72pp | 2008)
Analógico Digital (68pp | 2007)
Arte em Movimento (104pp | 2006)
Expressionismo Revisitado (52pp | 2005)
Outros Rumos – A Reinvenção do Road Movie (44pp | 2005)
O Novo Cinema Brasiliense (36pp | 2005), co-autor com Marcelo Díaz
* Listadas apenas as publicações com 32 páginas ou mais

– Outros trabalhos:
– Curador do 19º Festival Internacional de Curtas de São Paulo (2008); curador do 21º Festival Internacional de Curtas de São Paulo (2010)
– Curador e programador do 1º Festival Internacional de Cinema de Brasília (1999); curador e programador do 2º FICBrasília (2000)
– Repórter e crítico de cinema do jornal Correio Braziliense (1996-2002), tendo publicado mais de 1.100 artigos e reportagens; editor do caderno Suplementos e crítico de cinema para o Correio Braziliense (2003)

PERFIL:

Nascido em Brasília, em 18 de agosto de 1976, Gustavo Galvão fez especialização em cinema em Madri, na Escuela Superior de Artes y Espectáculos, e se formou em Jornalismo na Universidade de Brasília. A estreia como realizador ocorreu com o thriller psicológico Emma na Tempestade (2002). Já dirigiu sete curtas de ficção, exibidos em mais de 70 festivais e adquiridos pelas principais emissoras do país.

Curtas como Danae, A Minha Maneira de Estar Sozinho e o premiado A Vida ao Lado seguem uma proposta em que os relacionamentos urbanos são a base temática para a revalorização dos aspectos estéticos do cinema. O mesmo ocorre no primeiro longa de Galvão, Nove Crônicas para um Coração aos Berros, que mescla referências como Roy Andersson, Jim Jarmusch e o Teatro do Absurdo. O filme foi lançado na Mostra Novos Realizadores da 36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, em outubro de 2012, e recebeu a menção especial do júri ACCU/FIPRESCI no 31º Festival Cinematográfico Internacional del Uruguay. Em 2013, chegou o momento de lançar o segundo longa, Uma Dose Violenta de Qualquer Coisa, que dialoga com a tradição dos filmes de estrada para reinventá-la.

Desde 1999, Galvão se dedica também ao trabalho de curador de mostras de cinema, com 13 eventos realizados desde 2004, além de colaborações com o Festival Internacional de Curtas-metragens de São Paulo e com o Festival Internacional de Cinema de Brasília.

Veja também:
ANDRÉ CARVALHEIRA (diretor, roteirista e diretor de fotografia)
GUILHERME BACALHAO (documentarista e produtor)
MARCIUS BARBIERI (diretor, roteirista e montador)